A Polícia Americana é Racista? Veja o que um Estudo recente traz para explicar esse paradigma.

A polícia é racista? Eles disparam desproporcionalmente aos afro-americanos? Os incidentes em lugares como Ferguson e Baltimore são evidências de uma discriminação sistêmica? Heather Mac Donald, um erudito do Instituto Manhattan, explica um recente estudo de "força mortal", do pesquisador da Universidade Estadual de Washington, Lois James, que descobriu que os policiais eram menos propensos a disparar suspeitos negros desarmados do que os brancos ou hispânicos desarmados em cenários simulados de ameaças.


A professora de economia da Harvard, Roland Fryer, analisou mais de 1.000 tiroteios acontecidos em todo o país. Ela concluiu que não há evidência de preconceito racial nos tiroteios policiais. Em Houston, ele descobriu que os negros eram 24% menos propensos do que os brancos a serem atirados por policiais, mesmo que os suspeitos fossem armados ou violentos.


Uma análise do banco de dados de tiroteio policial do Washington Post e das estatísticas federais de crimes revela que 12% de todos os brancos e hispânicos que morrem de homicídio são mortos por policiais. Na contramão, apenas 4% das vítimas de homicídios de negros são mortos por policiais. Mas não é um sinal de parcialidade que os negros compõem 26% das vítimas do tiroteio, mas apenas 13% da população nacional?


Os tiroteios policiais ocorrem com mais freqüência quando oficiais enfrentam suspeitos armados ou que resistem violentamente. Esses suspeitos são desproporcionalmente negros. De acordo com o estudo mais recente do Departamento de Justiça, embora os negros fossem apenas cerca de 15% da população nos 75 maiores municípios dos EUA, foram acusados ​​de 62% de todos os assaltos, 57% dos assassinatos e 45% dos assaltos . Na cidade de Nova York, os negros cometem mais de três quartos de todos os tiroteios, embora sejam apenas 23% da população da cidade. Os brancos, ao contrário, comprometem menos de 2% de todos os tiroteios na cidade, embora sejam 34% da população. As disparidades de crime de Nova York são repetidas em praticamente todas as cidades racialmente diversas da América.


Pela interpretação desse estudo, o verdadeiro problema enfrentado pelas comunidades negras do centro da cidade hoje não é a polícia, mas criminosos. Assista o vídeo e entenda melhor a interpretação do estudo.




0 visualização
LOGO AMEBRASIL verticalAtivo 1_3x.png