Em nota ACS critica repudia ofensas proferidas pelo governador Dória e desvalorização dos veteranos

fonte: ACS PMESP





Mais uma vez o governador João Doria ofendeu os veteranos das polícias de São Paulo durante entrevista ao jornal Brasil Urgente, com o Datena, concedida logo após a manifestação dos representantes dos profissionais da segurança pública, realizada ontem (18/11), próximo ao Palácio do Governo.


O governador deixou bem claro o seu desprezo aos veteranos das polícias ao anunciar que somente os policiais da ativa receberão uma remuneração adicional em 2022, insinuando que apenas os que trabalham são merecedores. Essa é a segunda vez que o governador desvaloriza nossos veteranos abertamente. Em 2019, durante um evento em Taubaté/SP, ele chamou os policiais aposentados de vagabundos.


A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo (ACSPMESP), representada pelo presidente Cabo Wilson Morais e toda a diretoria da entidade, repudia este ataque direto e desnecessário aos nossos veteranos, que trabalharam arduamente pela segurança pública e até hoje dão suas vidas pela segurança da população. Um policial militar, mesmo aposentado, continua defendendo os cidadãos.


Lamentamos o desrespeito aos nossos gloriosos veteranos por parte do governador de um estado que tem a maior e melhor polícia do país, mas que não valoriza seus profissionais. Ofertar diplomas, bonificações e ampliar DEJEM/DELEGADA não sustentam estes profissionais, que precisam de um salário digno para poder pagar as contas e manter sua família sem ter que trabalhar em bicos e se arriscar durante sua folga.


Aliás, Doria ainda afirmou que não melhorou o salário das polícias devido à restrição imposta pelo Governo Federal de combate à pandemia que veda aumento aos servidores públicos até o final do ano, mas na verdade, assim como ocorreu em outros estados, ele poderia oferecer reposição salarial sobre a inflação a qualquer momento. Reposição salarial não é aumento!


Até agora, o governador não cumpriu o prometido de fazer a polícia de São Paulo a segunda mais bem remunerada do país e dá indícios de que não cumprirá até o final de seu mandato, que termina em 2022. Para quem quer ter um das polícias mais bem pagas do Brasil e até agora só deu reajuste de 5% à Polícia Militar em 2020, ainda está bem longe de alcançar seu objetivo.


Continuaremos na luta pela valorização e melhor condições salariais à família policial militar e não aceitaremos desaforos de um governador que esquece suas promessas e abandona seus servidores!






2 visualizações0 comentário