MP971/2020 é sancionada por Bolsonaro e efeitos financeiros valem a partir de 1º janeiro de 2020



O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou hoje (26/05) a medida provisória que garante o reajuste salarial de bombeiros e policiais civis e militares do DF.


Estavam presente no ato o vice-governador do DF, Paco Britto (Avante), o secretário de Segurança do DF, Anderson Torres, além do senador Izalci Lucas (PSDB-DF) e do ex-deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF), que atuaram nas negociações pró-recomposição dos vencimentos das forças de segurança distritais. A deputada federal Paula Belmonte (Cidadania-DF) e o presidente do Senado, Davi alcolumbre (DEM-AP), também participaram do ato, que foi fechado à imprensa.


Serão 8% de reajuste para policiais civis. No caso dos militares, a recomposição começa com 25% na gratificação da Vantagem Pecuniária Especial (VPE). Assim, a medida vai gerar recomposição de 8% também no contra-cheque de PMs e bombeiros. O aumento será pago em parcela única, retroativa a 1º de janeiro de 2020.





Como ficam os salários?


Com a nova configuração, a previsão é de que os vencimentos de um agente da Polícia Civil, que atualmente variam entre R$ 8.698,78 e R$ 13.751,51, passariam de R$ 9.394,68 para R$ 14.851,63, a depender das progressões na carreira. Já a remuneração dos delegados, hoje de R$ 16.830,85 a R$ 22.805,00, ficaria entre R$ 18.177,32 e R$ 24.629,40.


Para os militares, as recomposições oscilam de R$ 1.498,95, para o cargo de soldado, até R$ 7.279,17, no caso de coronel, último posto da hierarquia. Com o incremento, passariam a ser de R$ 1.873,69 a R$ 9.098,96, respectivamente. O impacto das medidas é de R$ 505 milhões por ano.


Leia a íntegra da Medida Provisória assinada clicando aqui, ou no arquivo abaixo.



0 visualização
LOGO AMEBRASIL verticalAtivo 1_3x.png