Biblioteca da Ciência Policial e conteúdos relacionados
com a Segurança Pública

A PREVENÇÃO SITUACIONAL DO CRIME E A TOMADA DE DECISÃO POR CRIMINOSOS

Isângelo Senna, Major da PMDF

O artigo Modeling Offenders' Decisions: A Framework for Research and Policy de Ronald V. Clarke e Derek B. Cornish foi publicado em 1985 na revista Crime and Justice. Trata-se de um texto clássico da Prevenção Situacional do Crime.

Os autores iniciam o trabalho denunciando que todo o esforço para a compreensão da dinâmica criminal e sua mitigação estava sendo dirigido pelas mais variadas áreas, inclusive a Criminologia, para os fatores determinantes ou disposicionais do crime. Ou seja, na década de 80, os processos psicológicos envolvendo a decisão do ofensor em praticar um crime estavam sendo negligenciados. Uma das razões para tal seria o embate ideológico entre criminologistas afiliados às correntes deterministas e não deterministas. Esse embate comprometia tanto a rigidez metodológica quanto o potencial de aplicação dos achados das pesquisas.

O MODELO DE SEGURANÇA PÚBLICA BRASILEIRO É EFICIENTE?

Cel. PMDF Itamar Pereira Valverde

Trata o presente artigo sobre a eficiência das polícias brasileiras em atenderem às necessidades da sociedade por segurança. Diante do modelo bipartido de atribuições policiais estabelecido na Constituição Federal de 1988, é feita uma análise das taxas referentes à elucidação de crimes de homicídio doloso, como um indicador ilustrativo do trabalho policial por todo país. Foi realizado estudo comparativo entre outros países federados como o Brasil e foram apresentados os resultados de diversas pesquisas internacionais e nacionais sobre criminalidade, segurança e desempenho de outras polícias pelo mundo. Face os dados obtidos, são apresentadas críticas e propostas para modernização e evolução do modelo brasileiro

CIÊNCIA E POLÍCIA

Por Luciano Loiola da Silva

Para aqueles que ainda teimam em não reconhecer a existência das Ciências Policiais e não acham possível que a polícia possa produzir de forma autônoma conhecimento científico relacionado à atividade que exerce, deixando assim a condição de objeto de estudo de outras ciências para se tornar agente protagonista na produção do conhecimento necessário à execução e melhoria dos serviços que presta à sociedade; faz-se necessário salientar que existe uma gama de ações desenvolvidas pelas polícias que carecem de um manejo e de uma sistematização adequada dos saberes que lhes são adjacentes, e que só uma ciência surgida em seu meio, manejada pelos seus integrantes e alimentada pela práxis policial conseguirá de fato atingir os seus objetivos.